O CASAL

Prazer, somos Charles e Lígia

UM CASAL APAIXONADO POR FOTOGRAFIA

Uma história de amor e de parceria profissional que já dura 17 anos, repleta de experiências, alegrias e desafios. Vem saber um pouco mais sobre nós, queremos dividir o que aprendemos com você!

O CASAL

Ela é de Brasília. Ele, de Belo Horizonte. Ela tem formação artística baseada em pintura e literatura. Ele já foi criado na música e no cinema. Ela gosta de MPB. Ele gosta de Jazz. Mas foi na fotografia que ambos se encontraram. Especialistas em docência fotográfica, colecionam 17 anos de experiência em ensino artístico. Juntos são O Casal da Foto, uma dupla inseparável, ávidos por ensinar tudo o que aprenderam ao longo de suas carreiras e transformar a forma de se lecionar e aprender fotografia.

CHARLES TÔRRES
Fotógrafo com 14 anos de experiência, especialista em fotografia documental urbana, é sócio proprietário da Metrópole NO AR, professor e autor do projeto BH – UMA FOTO POR DIA. Pra ele o que é bom é bão demais e trem é sinônimo de coisa. É compositor de trilhas sonoras pra filmes e um grande admirador de jazz, vida urbana, fotografia, arquitetura moderna, tecnologia, cultura japonesa, café e pão de queijo; e sempre procura diluir tais paixões em seus trabalhos, compondo um liga inerente em toda sua obra. Fã de carteirinha de Stevie Wonder, Herbie Hancock e Michael Jackson. Não dispensa uma boa prosa, um bom vinho, um queijinho; e aprecia a dança das nuvens, dispersando-se com facilidade ao observar as metamorfoses do céu. Fotografa o tempo todo com os olhos e possui um estilo fotográfico atemporal, já que o passado e o futuro sempre fundiram-se em suas explorações artísticas.
CHARLES TÔRRES

Grandes paixões se transformam em grandes fotografias. E foi por isso que me tornei fotógrafo. Antes de estudar fotografia, eu já gostava de um assunto e ansiava por documentá-lo: o ambiente urbano e seus cidadãos. Sempre gostei da complexidade que é intrínseca ao meio citadino e descobri na fotografia uma forma de congelar os instantes os quais me interessavam e mostrar ao mundo minhas reflexões em forma de imagens.

Além disso, o que me define? Bem, gosto muito de café, de queijo, de jazz, de piano e sou um eterno apaixonado pela Lígia, minha esposa, parceira de vida e de trabalho. Adoro conversar sobre a Ásia e tenho amor incondicional pelo Japão. Sempre fui precoce nas atividades que me encantavam! Quando pequeno, por influência dos meus pais, aprendi música sozinho e comecei a dar aulas particulares de piano e percussão aos 10 anos de idade. E graças à minha experiência em docência musical, me encantei também pelo ensino artístico e fotográfico, e já lecionei fotografia para mais de dois mil alunos. Pra mim “trem” é sinônimo de coisa. Não dispenso uma boa prosa, um bom vinho e gosto de apreciar a dança das nuvens, dispersando-me com facilidade nas metamorfoses do céu. Fotografo o tempo todo com os olhos e sempre estou atento ao que acontece nas ruas e avenidas pelas quais eu percorro. Pra mim, a fotografia eleva a vida de um fotógrafo a algo sublime e extraordinário. Por isso estou sempre estimulando as pessoas ao meu arredor a produzir, fotografar com a alma e buscar dentro de si a sua própria arte.

Fotografia como estilo de vida. Esse é meu lema!

instagram.com/charles50mm

CHARLES TÔRRES

Grandes paixões se transformam em grandes fotografias. E foi por isso que me tornei fotógrafo. Antes de estudar fotografia, eu já gostava de um assunto e ansiava por documentá-lo: o ambiente urbano e seus cidadãos. Sempre gostei da complexidade que é intrínseca ao meio citadino e descobri na fotografia uma forma de congelar os instantes os quais me interessavam e mostrar ao mundo minhas reflexões em forma de imagens.

Além disso, o que me define? Bem, gosto muito de café, de queijo, de jazz, de piano e sou um eterno apaixonado pela Lígia, minha esposa, parceira de vida e de trabalho. Adoro conversar sobre a Ásia e tenho amor incondicional pelo Japão. Sempre fui precoce nas atividades que me encantavam! Quando pequeno, por influência dos meus pais, aprendi música sozinho e comecei a dar aulas particulares de piano e percussão aos 10 anos de idade. E graças à minha experiência em docência musical, me encantei também pelo ensino artístico e fotográfico, e já lecionei fotografia para mais de dois mil alunos. Pra mim “trem” é sinônimo de coisa. Não dispenso uma boa prosa, um bom vinho e gosto de apreciar a dança das nuvens, dispersando-me com facilidade nas metamorfoses do céu. Fotografo o tempo todo com os olhos e sempre estou atento ao que acontece nas ruas e avenidas pelas quais eu percorro. Pra mim, a fotografia eleva a vida de um fotógrafo a algo sublime e extraordinário. Por isso estou sempre estimulando as pessoas ao meu arredor a produzir, fotografar com a alma e buscar dentro de si a sua própria arte.

Fotografia como estilo de vida. Esse é meu lema!

instagram.com/charles50mm

LÍGIA TÔRRES
Graduada em Artes Plásticas pela UnB, Pós-Graduada em Arte Educação pela UFMG, é sócia proprietária da Metrópole NO AR, professora, fotógrafa, curadora de exposições fotográficas e especialista em fotografia de animais. Ama gastronomia, tecidos, agulhas e linhas, um desafio, um projeto artístico, dançar na chuva, um copo de cerveja gelada, um bom vinho, fotografar, namorar e assistir um filminho de madrugada. É apaixonada pelas suas calopsitas e por seus bichanos e um dos seus maiores hobbys é observar o comportamento deles. É decifrada pelo verbo de Chico, Rubem Alves, Martha Medeiros e Ana Jácomo, respira arte desde sempre e é piolha da Metrópole. Quer dançar, quer cafuné, quer ver o pôr do sol em dia de domingo.

LÍGIA TÔRRES

A arte é uma das maiores ferramentas de transmutação e desenvolvimento que a humanidade dispõe. O poder de transformação social da arte é notório em praticamente todos os tipos de movimento. E, por isso, resolvi mergulhar nesse maravilhoso ofício, atuando, produzindo e lecionando. Sou graduada em Artes Visuais pela UnB e Pós-Graduada em Arte Educação pela UFMG.

Minha fotografia é um misto de delicadeza e vivacidade. Gosto de fortes expressões mescladas aos mais puros e candidos tons de cor. Quando não fotografo gatos, me expresso através de autorretratos, onde eu posso ser a autora de toda a sentença da imagem, da maquiagem ao click final, abstraindo qualquer interferência externa, transformando a fotografia na própria extensão do meu corpo, na materialização das minhas ideias e convicções.

Sou parceira do Charles em O Casal da Foto, atuando como professora, fotógrafa, coaching, curadora de exposições fotográficas e especialista em fotografia de animais. Amo o Charles, o John, o Japão, uma boa conversa com amigos, gastronomia saudável, um desafio, um projeto artístico, dançar na chuva, um copo de cerveja gelada, um bom vinho, fotografar, namorar e assistir um filme japonês de madrugada. Tenho uma fabriqueta de bonecas de porcelana e tenho trabalhado com afinco neste projeto. Sou apaixonada por gatos e um dos meus maiores hobbys é observar e fotografar o comportamento deles. Amigos próximos me chamam de “a doida dos gatos”. Sou decifrada pelo verbo de Chico, Rubem Alves, Manoel de Barros, Martha Medeiros e Ana Jácomo, respiro arte desde sempre e não perco a oportunidade de viajar. Quero dançar, quero cafuné, quero ver o pôr do sol em dia de domingo.

instagram.com/miadochiado

A HISTÓRIA D’O CASAL DA FOTO

O dia era 25 de abril, o ano era 2003 e a quadra era 912 Sul, e a cidade, Brasília. Éramos um jovem casal de namorados com seus 16 anos de vida, mas de uma forma inocente, já sabíamos o que queríamos: tornar a arte acessível a todos. E ali, assim meio sem planejar, nascia uma história que guiou (e guia) nossas vidas e a de muitas outras pessoas.

Desde que nos conhecemos, alimentamos a ideia de ter nosso espaço artístico-fotográfico, o qual ainda naquela época já tinha um nome, uma ideia e um conceito formados.

A partir de então, começamos a agregar conhecimento e a somar experiência na área das artes aos nossos currículos. Foram vários os trabalhos, cursos e especializações nos campos da fotografia, do cinema, da animação, do artesanato, das artes digitais e da arte-educação, e quanto mais adquiríamos know-how, maior era a vontade de fundar nosso espaço cultural.

Nos casamos e nos mudamos para Belo Horizonte, em 2009, em busca de novas perspectivas e novos desafios. E com muita garra e suor, unimos nossas forças e fundamos nossa primeira empresa em 2012, uma escola de fotografia.

DESDE QUE NOS CONHECEMOS, ALIMENTAMOS A IDEIA DE TER NOSSO ESPAÇO ARTÍSTICO-FOTOGRÁFICO, O QUAL AINDA NAQUELA ÉPOCA JÁ TINHA UM NOME, UMA IDEIA E UM CONCEITO FORMADOS.

Ao longo de cinco anos (2012 – 2017) nossa escola proporcionou aos seus alunos uma educação nos moldes das mais conceituadas escolas de fotografia do mundo. A metodologia de ensino e o conteúdo dos cursos permitiram a formação de fotógrafos profissionais, competentes e completos, capazes de atuar em qualquer área do mercado de fotografia.

Desde a sua fundação, nossos alunos colecionaram trabalhos únicos, resultado de seu empenho pessoal e dos nossos esforços para formar os melhores.

A escola se tornou um ponto de encontro para fotógrafos e amantes da fotografia. Um lugar de contemplação filosófica e muita prática, onde eram realizados cursos, palestras, bate-papos, exposições e outros eventos voltados à ideologia fotográfica, além da difusão da produção artística mineira.

Foram cinco anos de muito aprendizado, de muitas vivências e experiências. Nunca imaginávamos o quanto a nossa escola faria sentido pra tanta gente e o quanto tocaria tantos corações quanto tocou. Crescemos rapidamente e, de uma sala de 30m2, passamos a ocupar um andar inteiro de 300m2. Nos tornamos a maior escola de fotografia de Minas Gerais e uma das maiores do Brasil, e para isso acontecer, contamos com o apoio e com o trabalho de muitos profissionais e da confiança de muitos alunos, pessoas que admiraram e apoiaram nosso trabalho e recebemos reconhecimento da mídia impressa, online e da TV.

Acreditamos que a vida é movimento e, por isso, em janeiro de 2017, nós vendemos a nossa escola.

NUNCA IMAGINÁVAMOS O QUANTO A NOSSA ESCOLA FARIA SENTIDO PRA TANTA GENTE E O QUANTO TOCARIA TANTOS CORAÇÕES QUANTO TOCOU.

Em busca de mais sossego, qualidade de vida, sono tranquilo, liberdade e criatividade, trocamos uma grande empresa por uma pequena empresa: O Casal da Foto.

Vendemos nossa escola para voltarmos a nos dedicar integralmente ao ensino fotográfico, para não nos preocuparmos tanto com questões administrativas e burocráticas que uma grande empresa exige e para buscar um novo olhar para o mundo.

Deixamos um legado que segue fazendo da escola uma das melhores do país, e isso já é o suficiente para nos encher de orgulho.

Somos curiosos, inquietos, exploradores… somos ousados, travessos, ecléticos, pioneiros… astutos, xeretas, abelhudos… entusiasmados, observadores, repórteres… agitados, românticos, sensíveis… espontâneos, desapegados e habilidosos. Somos café com pão de queijo e boa prosa… estamos sempre à procura de imagens e sentimentos. Somos andarilhos urbanos, naturais e viajantes. Andamos em bando, andamos sozinhos. Somos da tribo. Somos fotógrafos e definitivamente fazemos parte da turma que acredita que a chave da felicidade é “fazer o que se ama”.

SOMOS FOTÓGRAFOS E DEFINITIVAMENTE FAZEMOS PARTE DA TURMA QUE ACREDITA QUE A CHAVE DA FELICIDADE É “FAZER O QUE SE AMA”.

Desde 2003, quando nos conhecemos e decidimos ser fotógrafos artistas, temos feito uma caminhada longa e intensa de desenvolvimento próprio. Permanecemos sempre com a mente aberta e disposta a mudar o rumo da nossa história e a nossa forma de pensar e fazer. Já são dezessete anos de experiência em ensino artístico e atualmente nos dedicamos integralmente ao ensino fotográfico. Vivemos em ponte aérea entre a Ásia e a Europa. Temos muitas histórias para contar desde que selamos nossa parceria, mas sabemos que ainda temos muito chão pra caminhar, espaço para conquistar e alegrias para celebrar. Nunca imaginávamos que faria tanto sentido aquele sonho de adolescente, que hoje se concretizou em O Casal da Foto.

Anos de Experiência

Apaixonados por fotografia

Fotógrafos Formados

empresas e clientes atendidos